setembro 20, 2010

se eu fizesse? (VII)

Cláudia:
- Thomáz, temos, apenas, dois departamentos para o apresentar e dar-lhe a conhecer. Que acha? Estamos perto da hora do almoço, eu tinha pensado em fazer toda esta parte das apresentações de manhã, mas talvez seja confuso para si. Se parasse-mos e logo a seguir ao almoço, fácilmente se fazia e depois era só no nosso?
Thomáz:
- A Cláudia manda e eu faço. Parece-me bem, parar um pouco e fazer como diz, agora... não me trate por você.
(Cláudia): Ai...ai...Será que vem mais alguma coisa ou o Thomáz fica por aqui?
Cláudia:
- É, fazemos assim e o pouco tempo, até ao almoço, o Thomáz vai-se...vais-te "entretendo" a ver uns papeis, uns documentos.
Thomáz:
- Vamos a isso.
Cláudia:
- Thomáz, então é assim. Estas três pastas são como que um diá...
Thomáz:
-Huumm...Desculpa Cáudia, mas tens um cheirinho bom. Que perfume é?
(Cláudia): Não...não acredito.
Cláudia:
- Nem sei, tenho vários e não reparei qual deles usei.
Dizia: São como que um diário. Assuntos resolvidos e prontos a serem assinados pelo Sr. director. Estã.....
Thomáz:
- Olha que o director não gosta que o trates assim.
(Cáudia): Santo Deus. Outra interrupção e eu, o tema principal. Que voltas que sinto na minha barriga... Casa de banho, para descarregares e refrescares a cara.
Cláudia:
- Tens razão Thomáz, ainda não me habituei. Como eu dizia, as pastas estão, como podes ver, por assunto. Umas são sobre situações, simples, com os fornecedores outras, têm a ver com pagamentos aos fornecedores e só, nada mais se mistura. Esta terceira... Não, para já ficam essas duas.
Ficas já a conhecer alguns fornecedores da empresa. Atenção... apenas para ires dando uma vista de olhos. Não te esforces em fixar. Isso será aos poucos.
Entretanto aproveito e vou ao departamento de vendas. Eles têm muito a mania de deixar para o fim, determinados papeis e depois, somos nós, aqui, que levamos na cabeça. Fica à vontade.
(Cláudia): Safa-te, vai à casa de banho, aliviar, refrescares-te. Ai minha "pedrinha" só tu podes avaliar o estado em que me encontro.
Ahh... sente, sente a minha cara, a minha pele, o meu peito, estou a pedir-te demais? Vá, dá-me a tua companhia, dá-me de ti o muito que puderes, humedece meus lábios. Só tu me tens valido. Bom, vamos lá. Primeiro o departamento de vendas. Faço o que tenho a fazer, dou dois dedos de conversa e... bolas, faltam 15 minutos para o almoço. Lá vou eu a correr para o departamento e dar atenção ao Thomáz.
Cláudia:
- Então Tomáz, demorei muito tempo?
Thomáz:
- Nem dei por ele. Estou aqui a ver o que me deixaste.
Cláudia:
- E não apareceu ninguém?
Thomáz:
- Ninguém
Cláudia:
- Ópti.....
Thomáz:
- Ahh...telefonou o director para lhe ligares.
(Cláudia): Que será desta? Bem, deixa-me ligar.
Cláudia:
- Sim Fernando, ligou para mim, diga.
Fernando:
- Cláudia, tem alguma coisa combinada para o almoço?
Cláudia:
- Não, vou ao refeitório.
Fernando:
- Não, não vai. Vamos almoçar fora com o Thomáz. É o primeiro dia dele, vamos mostrar a nossa simpatia e falar com ele, mais em particular. Esperem aí no gabinete que eu não demoro.
(Cláudia): Bolas, "pior?" Não me podia acontecer.
Aiii... esta vinda do Thomáz, está a pôr-me que nem eu me conheço.
Cláudia:
- Thomáz, vamos almoçar com o Fernando. Não tinhas nada combinado?
Thomáz:
- Não. Até estava à tua espera para me orientares.
Cláudia:
- Pronto, então vamo-nos preparando.
(Cláudia): Ai... o quanto me custa, já tenho as pernas a tremerem. Mas porquê?
Concentra-te Cláudia. Vou já tirar da gaveta as coisas que vou levar... o que é isto, um envelope? Sem qualquer nome...nada. Vou abrir, está aqui é para mim.

Sonhei-te a meu lado
e contigo vivia.
Olhava a tua boca e sentia,
o quanto me dizia,
falava
e a minha se calava.
Louco te procurava,
louco te amava.
Minha boca selou,
quando te encontrou.
Tua boca se calou
e meu coração te
gritou...
Aqui estou...
.
(Cláudia): PEDRINHA... Parece que tenho lume nas mãos. A minha cabeça deixou de pensar, não sei que dizer...ou se quero dizer alguma coisa.
Thomáz:
- Cláudia...Cláudia, está aqui o Fernando, vamos.
Cláudia:
- Va...mos? Onde?
.
(poema: sérgio figueiredo)

12 comentários:

JB disse...

Minha boca está selada, amarrada a esse poema, de olhar pendurado nessa Pedrinha, e de ouvido colado às vozes das tuas personagens.
Os aromas perderam-se nos papéis perfumados pela presença da Cláudia, do Thomáz, do director...
E também eu aqui estou, empolgada neste sonho... onde continuo a gostar tanto da cumplicidade da Pedrinha, onde a Cláudia deposita as emoções, as incertezas, os batimentos de um coração... pronto para amar! Será?!?
Espero a continuação, apertando cada vez mais essa PEDRINHA! :)

È lindo!!!
Beijinho

Fa menor disse...

Ui!... que virá aí?
Estou a gostar de seguir, amigo.

Bjos

MagyMay disse...

Atraso-me um pouquinho na leitura mas vou acompanhando.
Ó Sérgio, fico am ânsias (qual Cláudia...rs) para saber o que se segue!

Beijinhos

Vieira Calado disse...

Olá, caro Sérgio!

Hoje andei a admirar as suas fotografias.

Parabéns!

É uma arte apenas para quem sabe!

Forte abraço

poetaeusou . . . disse...

*
e ando a ficar preso,
aos encantos deste lugar !
,
abraço,
,
*

OutrosEncantos disse...

... e se você fizesse?!
pois..., você faz...!!!
Esse teu poema..., me prendeu!
Nele, tudo quanto a cumplicidade de um olhar dentro de outro olhar, pode dizer..., receber..., gritar..., suplicar..., dar e receber...
... e por fim se entregar!
... Claudia sentiu a mensagem e a pedrinha queimou-lhe a mão, como quem diz - estou aqui, porta-te bem... ;)
É, a paixão é assim!
Para a Claudia, a guerra vai ser ser dificil, talvez perca algumas batalhas, mas não está sózinha..., então é seguro que vencerá!
As pedras também sentem..., também falam connosco!
Gostei muito, muito mesmo!
Beijo.

São disse...

Desculpa, mas hoje vou comentar a maravilha das tuas fotos lindas, lindas!

Um excelente fotógrafo és!

Um abraço.

Naty e Carlos disse...

O amor nasce de um beijo, cresce de um sorriso, alimenta-se de um carinho e ressuscita de um perdão."
Uma boa semana
Bjs com carinho

maria teresa disse...

Vão para onde? A Claúdi vai ficar dividida? Será? Tantas dúvidas...
Abracinho

sonho disse...

Hummm...poema apaixonante...quero mais:)
Beijo d'anjo

Multiolhares disse...

vou ter de voltar para ver a continuação,não é todos os dia que se descobre numa gaveta um poema tão lindo
Bj

Sonhadora disse...

Meu querido
Vou voltar depois para ler a continuação,
estou de volta e deixando um beijinho com carinho.

Sonhadora