novembro 14, 2010

se eu fizesse? (XII)

Ivone:
- Cláudia, que se passa? De joelhos, na rua, a fazer o quê?
Cláudia:
- Ai Ivone, desesperada com o que me anda a acontecer. Vê, ainda não limpei tudo e percebe-se do que falo. Tem sido todo o dia, de várias maneiras.
Ivone:
- Mas, estás a dizer-me que alguém se... não, declaração de Amor? Eu conheço, é aqui da empresa?
Cláudia:
- Se mo disseres tu, eu agradeço. Deixa-me só acabar de limpar isto e já vamos falar.
Ivone:
- "A Flor...? Guarda-a e sente o meu amor". Huumm...
Cláudia:
- Ivone por acaso não estás a gozar comigo não?
Quando te contar tudo, eu quero ver o que vais dizer.
Ivone:
- Amiga, claro que não te estou a gozar. Est...
Cláudia:
- Pára... deixa-me ver se consigo disfarçar isto e já vamos conversar com mais calma se é que conseguirei estar calma.
Ivone:
- Pronto...pronto eu espero. Não stresses.
Ohh... a Flor desprezada em cima do carro. Aiii... que cheirinho bom e não é da flor. É perfume de homem e olha que só este cheiro... até a mim me deixa doida.
Cláudia:
- Decididamente não deixas de me gozar.
Ivone:
- Ok... eu calo-me, mas olha que não retiro uma letra ao que disse.
Cláudia:
- Finalmente... está disfarçado. Pelo menos já não se vê a escandaleira que aqui estava.
Ivone:
- Ingrata... Já me calei outra vez.
(Cláudia): Agora? Bem, vou pedir ao segurança que me deixe ir à casa de banho. Nahh...o melhor é ir para casa e tomar um bom banho. Isso...
Cláudia:
- Ivone, vamos para minha casa fazemos qualquer coisa para comermos e falamos com mais pormenor. Achas bem?
Ivone:
- Minha querida, excitada como estou, tu é que mandas. Eu quero é saber tudo.
Cláudia:
- Então vamos, levamos os dois carros porque, hoje, já não quero sair de casa. Quero descansar, sossegar esta cabeça.
Ivone:
- Minha querida, huum... ainda não sei de nada, mas a tua cabecinha ferve.
.
Cláudia:
- Bom, vou tomar um duche rápido. Faz o que quiseres enquanto esperas. Vai ao frigo e come...
não, podias ir adiantando e ías pondo a mesa, mas come sim.
(Cláudia): Ahh... que bom. Só este duche... vamos ver se recomponho esta cabeça. Ainda não consigo assimilar o que anda a acontecer. Estou a ficar paranóica, mas uma coisa sei... é alguém da empresa. O inacreditável é não conseguir associar uma pequena desconfiança e isso... ahh que bom este duche. Se não fosse ter a Ivone, bem que ficava aqui.
Ivone:
- Bolas, ía ver se tinhas adormecido na banheira.
Vá...vá, começa a dar à língua.
Cláudia:
- Deixa pelo menos ver o que vamos fazer para comer.
Ivone:
- Não é preciso, já bisbilhotei o frigorifico e já tenho uma lasanha no forno. Pode ser? Não vale a pena dizeres que não... já está. Talvez uma salada para acompanhar... Puxa Cláudia, começa a falar e deixa o comer. Olha... não é para mim, mas acho que já esgotei o cheirinho da flor, tantas são as vezes que a cheiro.
Cláudia:
- Para ficares já a fazer uma ideia, são bilhetes com poemas, é a flor, mas essa já conheces e, esta nem vais acreditar...
Ivone:
- Conta, conta que eu estou a ficar em choque. Caraças... eu não tenho a tua sorte.
Cláudia:
- Acreditas que este, este... este incógnito foi ao ponto de alterar o fundo do ambiente de trabalho do meu PC e...
Ivone:
- Ai a lasanha... bolas.
Cláudia, ainda tens fome? Eu já dispensava... estou sem tempo para comer, quero ouvir-te. Continuaaa... mulher, estás mesmo lentinha de todo.
Cláudia:
- Calma, dá-me tempo para... Ivone, ou queres saber tudo em pormenor ou...
Ivone:
- Ok, entendi. Olha, a lasanha está pronta, vamos comer.
Pareceu-me ouvir o teu telemóvel.
Cláudia:
- Deve ser a minha mãe. Vai-te servindo que eu não demoro.
Ivone:
- Tá, mas despacha-te. Estou a ver, por este andar, que hoje já não fico a saber mais nada.
Cláudia:
- É...? Tens a certeza? Então lê essa mensagem... tomaaa, segura no telemóvel e lê.
Ivone:
-
"A noite só é bonita...
iluminada pelo teu corpo.
É...És a estrela que mais brilha,
mostrando que o céu não está morto.
Vagueio nesse "espaço"... com vida
e anseio beijar-te numa loucura... desmedida.
Acariciar esse brilho... sedutor,
sentir a tua pele, o teu calor...
e ferver...
envolvendo-te com o meu Amor..."
.
Está anónimo, o número.
Cláud...
Cláudia... Que estás a fazer? Aí sentada, com essa cara e a beijar essa Pedrinha?
.
P.S. Peço desculpa a todos os Amigos que me visitam, pela ausência da minha retribuição. A saúde trai-nos, como expresso no meu blogue da Bipolaridade. É em esforço que actualizo este blogue, mas é a minha "terapia" e tinha de o fazer.

7 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Eu já tinha sentido que qualquer coisa se passava, já tinha passado por aqui...espero que melhores logo.

A história está cada vez melhor, mas o poema que a aconpanha é delicioso.

Beijinhos
Sonhadora

Baila sem peso disse...

Coitadinha da Claúdia, suspira...
e está a pensar que delira...
ainda bem que a amiga Ivone
lhe confirma a sms no telefone :)

e o poema é uma declaração
e não lhe aguenta o coração :)

e vou acompanhando a continuação...não , não precisa ser a correr...e comentar, só quando apetecer!!!

beijinhos Sérgio
bom fim-de-semana sem acontecer dor
e em estrada de muita cor

Anónimo disse...

Bom domingo...

Alice

JB disse...

"A noite só é bonita...
iluminada pelo teu corpo."

Quem resiste a versos iluminados desta forma?
A noite ganhou outro brilho, o teu conto vai ganhamdo contornos que ultrapassam a génese da escrita...
Neste episódio acrescentaste a amizade, um dos mais belos sentimentos humanos...

Beijinhos
P.S. Desejo as tuas melhoras!

sonho disse...

Cada vez adoro mais esta historia...:)
Meu querido amigo desejo as melhoras para ti:)
Beijo d'anjo

OutrosEncantos disse...

estás sempre aqui, onde nós estamos contigo.
por razões muito diversas cada um de nós precisa estar longe de vez em quando.
gosto da tua história imenso e do amor que chega através dela, e da intensidade sedutora dos cartões.
a inspiração mantém-se bem viva.
Até já, Sergio
Beijo.

OutrosEncantos disse...

Declinaste a palavra amor na perfeição.
Amor é tudo o que alí escreveste.
O prazer é apenas um dos elementos que o compõem, e nós esperamos, ou melhor, desejamos que esteja na máxima percentagem, né?.....
pois... é tudo uma questão de qualidade/quantidade.

Beijo
'tás muito giro, alí :-) risonho!