outubro 31, 2010

se eu fizesse? (XI)

(Cláudia): Vou para o carro enquanto espero pela...puxa, o telemóvel a tocar, quem será? Olha não podia ser boa, é a Ivone...
Cláudia:
- Ivone, estava a pensar em ti, mas diz.
Ivone:
- Olha, o trânsito está terrível. Vou demorar.
Cláudia:
- E tens alguma coisa combinada? Não dá para vires?
Ivone:
- Não, não tenho nada combinado.
Cláudia:
- Ah... então eu espero. Estou dentro do carro.
Ivone:
- Mas há algum problema?
Cláudia:
- Não, quer dizer...não sei. Depois falamos vá, deixa-te de conversas e vem.
(Cáudia): Ainda não estou em mim. O que me havia de acontecer e o como está a acontecer. Pior ainda...quem és tu?
Autêntica declaração de amor...
Posso desconfiar do Fernando, pelas suas bobagens. Posso desconfiar do Thomáz, afinal anda todo o dia comigo, não sei... primeiro dia, tão pouco tempo.
Qualquer um deles tem tido oportunidades de deixar estes... meu Deus, como vou chamar? Declarações? E são declarações, Cláudia.
O Fernando pode fazê-lo, aproveitando o eu andar com o Thomáz. O Thomáz, também teve momentos sem mim, poucos, mas teve. Quando fui à casa de banho, só aí demorei bastante depois, o departamento de vendas. Houve tempo suficiente para o Thomáz o fazer. Ah... mas não tinha tempo para alterar o ambiente de trabalho do PC. Ahhh... e agora me lembro, minha nossa, o Fernando queria falar comigo. Nunca mais me lembrei e ele também não me ligou... UUhhhh, porrinha. Ai a minha cabeça, ando completamente fora de mim. É o andar com o Thomáz e estes...bolas, estes quê? Bem, agora não vale a pena pensar. Amanhã, quando chegar, será a primeira coisa a fazer. Ligo para para o Fernando, peço desculpa e disfarço, usando o Thomáz. Digo-lhe que estava presa nos papéis e explicava ao Thomáz. Bem, e é a verdade. É... ele não me vai dizer nada.
Cláudia... toma tino nessa cabeça. Não é o trabalho que te anda a pôr assim, são as declaraç... nossa, o telemóvel a tocar.
Cláudia:
- Estou, Ivone? Diz.
Ivone:
- Mais 15 minutos.
Cáudia:
- Tá, eu estou no carro. Olha, está estacionado no parque e mesmo em frente ao café.
Ivone:
- Tá.
(Cáudia): Mas que confusão que vai na minha cabeça.
Bom... uma coisa é certa, quem o faz... sabe fazê-lo. Aquece o coração de uma mulher. Eu só gostava de saber quem é.
Há momentos em que gostava de ser uma mosca e estar poisada sem que ninguém me visse. Assim, já não estava nesta aflição.
Bem, isto vai ter um fim, só não sei qual e quando. Mas, e... e será que ele me vê, a ler o que me escreve? Será que eu olhando em redor, poderei estar a vê-lo? Ahh... que sussstooo.
Cláudia:
- Ai Sr. Segurança... dessa maneira? Bater no vidro do carro, assim pos...
Segurança:
- Calma D. Cláudia. Vá, acalme-se que sou eu.
Cláudia:
- Pois, agora vejo que é o senhor. Faça-me outra e eu morro.
Segurança:
- Nossa, D. Cláudia. Não é caso para tanto.
Cláudia:
- Diz o senhor, ponha-se no meu lugar e eu quero ver. Mas, há algum problema?
Segurança:
- Não sei se é problema. Afinal, a D. Cláudia está no carro, já deve ter visto.
(Cláudia): Pedrinha... ???
Cláudia:
- Mas visto o quê?
Segurança:
- Atrás do seu carro, o que está atrás do seu carro.
Cláudia:
- Atrás do meu car...
Aiii homem... saia-me da frente.
(Cáudia): Não...Não...
Segurança:
- Sente-se bem D. Cláudia? Não me diga que não tinha visto?
Cáudia:
- Não, não tinha visto!
Eu saí pela porta de serviço e fui direita ao café. Quando vim para o carro, venho de frente e...
não dá para ver o que está atrás do carro.
(Cláudia): Mas o que é isto, Cláudia???
Cláudia:
- Está a rir-se?
Segurança:
- Peço desculpa, D Cláudia. Vou ali para a porta, para o meu posto. Peço desculpa, julguei que já sabia. Boa noite, D. Cláudia.
Cláudia:
- Diga? Si...
Boa noite...
(Cáudia): Mas... Ai, não sei que dizer. Como foi esta? Se não está escondido... não estou a ver ninguém por perto.


Mais uma declaração. Tudo pintalgado, tenho de limpar...rápido, até o segurança me gozou. E a flor, que lhe faço??? Vais responder... Pedrinha?

(foto: Net, Arranjo: sérgio figueiredo)

11 comentários:

Canto da Boca disse...

Tomara que a "pedrinha" não responda, afinal, o mistério e a incerteza darão mais um tempero nessa história...

... E ainda tem a flor, a flor tão cúmplice!

Beijo, Sergio!!

poetaeusou . . . disse...

*
Delicioso
ou a delicia dos mistérios,
,
abraço,
,
*

OutrosEncantos disse...

Há sombras surpreendentes!
Que cartão lindo!

Beijo!

Sonhadora disse...

Meu querido

Como sempre vou percorrendo as linhas extasiada com a história.
Adorei o cartão...feito com grande sensíbilidade...adorei.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Multiolhares disse...

meu Deus como esta a cabeça dessa mulher, e quem sabe o coração,
beijinhos

OutrosEncantos disse...

Este postal está simplesmente lindo!

Vim ver se havia novidades.
Não há, deixo-te um abraço :-)

Sentidamente disse...

Estimulante é o caminho da descoberta porque semeado de sucessivas surpresas e promessa do imprevisível…
Um abraço

Iana disse...

Caro amigo...

Linda e bela declaração...
"Sou eu a sombra desta flor.
a flor...? guarda-a... sentes nela o meu amor..."

Perfeito! Lindo e doce!

Beijos doce amigo
sua rosa amiga passou por aqui desejando um lindo dia cheio de encanto e perfumes das rosas.
Iana!!!

MagyMay disse...

Toda a mulher queria ser Cláudia.
"Isto" está lindo!
E o mistério é o melhor tempo do mundo...

Beijinho, Sérgio

Sonhadora disse...

Meu amigo

Passando para deixar um beijinho.

Sonhadora

JB disse...

Sérgio,

Cheguei tarde... aliás, sou alguém que acha que nunca é tarde, por isso aqui estou!

Cada vez mais empolgante esta aventura onde a cada episódio entram novas personagens humanas e não só. Desta vez fiquei presa na sombra dessa flor (tal como a Cláudia anda a viver na sombra de quem lhe prega estas partidinhas apaixonantes :)). Uma ideia muito criativa que perfuma o segredo da pedrinha, o segredo que continua guardado... na tinta das tuas mãos, junto ao peito, diria no mais belo recanto de quem gosta de escrever.

Curioso... será que depois de desvendado o segredo... a Pedrinha será de novo lançada ao mar?!?

P.S. Lindíssimo comentário lá no "CONFISSÃO", obrigada!

Beijinho!